segunda-feira, 25 de maio de 2020

ZODÍACO | CDC 019


Isabelle Reis conta a história de um dos serial killers mais conhecidos do mundo: o Zodíaco. Entre as diferenças do filme estrelado por Robert Downey Jr e Jake Gyllenhaal e a realidade, os detalhes das investigações fazem toda a diferença.
O Assassino do Zodíaco foi um assassino em série estadunidense que atuou no Norte da Califórnia durante 10 meses desde o final da década de 1960. Sua identidade permanece desconhecida. O Zodíaco colocou seu nome em uma série de cartas ameaçadoras que enviou à imprensa até 1974.
O Canal AXN vai patrocinar dez episódios para que a gente disseque casos parecidos e que inspiraram histórias conhecidas nas telas de cinema, nos livros ou nos shows de TV, acompanhando os 10 episódios da primeira temporada de Lincoln Rhyme, série inspirada no best-seller “O Colecionador de Ossos”, exibida toda segunda, às 22h.

Bibliografia:









Zodíaco – Filme dirigido por David Fincher

O animal mais perigoso de todos - Gary L. Stewart



NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime


https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

Isabelle Reis tem 25 anos, é jornalista policial, escritora e podcaster. Com o seu primeiro projeto na podosfera, o Cena do Crime, foi selecionada para o Arte Sônica Amplificada, projeto que potencializa mulheres da área do som, em parceria com o British Council, além de fazer parte da produção do evento de podcasts no Rio de Janeiro, o Essa Parada. Como jornalista, Isabelle já trabalhou na Rede Bandeirantes e se especializou em jornalismo investigativo e local, com cursos na ABRAJI e em universidades como a Columbia. Também já lançou três livros, dentre eles, dois romances policiais

1 comentários:

  1. Um assassino único: nas décadas de 60 e 70, ainda na gênese do entendimento sobre essa espécie de assassino que é o serial killer por parte do FBI, o Zodíaco age como se tivesse fazendo o dever de casa, metodicamente, limpo e sem deixar vestígios, seguindo um modus operandus próprio, mudando padrão de vítima, com intervalo de tempo cada vez menor, e com motivações obscuras além da presumível questão da satisfação mórbida de sadismo, pois o aspecto midiático parece mesmo prevalecer no seu perfil. Seus crimes da mesma forma que começaram, pararam do nada, apesar do número relatado de crimes atribuídos mas não conectados do principal suspeito, que acabou morrendo e levando a verdade consigo. Enquanto assassino midiatico, que assassinava e se comunicava com a mídia e com a polícia em ato contínuo, para relatar seus crimes e desafiar a polícia e levar o pânico, sua satisfação parecia estar inusitadamente nesse exibicionismo, corroborando a tese de que "todo serial killer deseja secretamente ser pego". Houve quem quisesse assumir seus crimes e ganhar os "créditos" e fama; particularmente abjeto isso. Se o assassino já morreu, como ocorreu com o principal suspeito, ou se ainda está vivo por aí, sua obra de assassinatos é considerada "crime perfeito" visto que nunca foi pego e nunca deixou vestígios para trás; propositadamente ou casualmente cometeu crimes em diferentes jurisdições, dificultando a conexão entre os crimes de mesmo autor, visto que as polícias não se comunicavam, mas como ponto positivo isso foi um fator para que se criassem posteriormente um banco de dados de crimes nacional, proporcionando a comunicação entre as diferentes jurisdições de lei. Se o objetivo do assassino era fama, ele conseguiu, pois o caso do Zodíaco parece ser o mais profícuo em termos de produtos midiáticos - livros, filmes, jornais e periódicos, séries de TV... aliás, o filme referido - Zodíaco (2007) - é realmente um dos melhores em termos de retrato fidedigno de um caso de crime verdadeiro "true crime", como uma das próprias vítimas pode falar; ah eu sempre assisto os extra dos DVDs, costumam complementar bastante, nem que seja só os bastidores de gravação ou contexto.

    ResponderExcluir

img

Jessica Emmanuela Kemu

@jehemmanuela

A forma como a Isa conta as histórias, como envolve os ouvintes é encantador, e por mais que as histórias sejam sobre tragédias, ela tem uma enorme responsabilidade ao conduzir os fatos, respeitando as vítimas e o que elas passaram, sem sensacionalismo e super transparente!

img

Daniel Guerra

Cena do Crime é um bom podcast sobre um assunto que ainda é raro na podosfera. Crimes e Serial Killers. Recomendo!

img

Cristiane Ferreira

@crissferrer

O Cena do Crime é um trabalho de muito respeito e pesquisa. Acho incrível a forma como se posicionam, sem tentarem expor uma verdade absoluta e se mantendo numa zona de entusiasmo em relação à Criminologia.

Financiamento coletivo

AJUDE O CENA

R$ 5

por mês
  • O podcast sobrevive *-*
  • Reuniões Exclusivas
  • Agradecimento nos episódios
  • Revista Mensal

R$ 10

por mês
  • O podcast sobrevive *-*
  • Reuniões Exclusivas
  • Agradecimento nos episódios
  • Revista Mensal

R$ 20

por mês
  • O podcast sobrevive *-*
  • Reuniões Exclusivas
  • Agradecimento nos episódios
  • Revista Mensal
Contato

MANDE UM E-MAIL

SINTA-SE EM CASA

Contato e Informação

Neste espaço você pode mandar sugestões, elogios e críticas para a melhor construção do podcast. Se precisar de alguém para contar uma história ou conversar, este é o nosso canal!

contato@cenadocrime.com