Crimes Reais

OUÇA O PODCAST

Cena do Crime é o primeiro podcast de criminologia do país, além de também ser o primeiro apenas focado em true crime. A jornalista policial Isabelle Reis conta sobre os casos de assassinatos mais emblemáticos no Brasil e no mundo. O programa libera três episódios por mês.

image
Host

ISABELLE REIS

Isabelle Reis tem 25 anos, é jornalista policial, escritora e podcaster. Com o seu primeiro projeto na podosfera, o Cena do Crime, foi selecionada para o Arte Sônica Amplificada, projeto que potencializa mulheres da área do som, em parceria com o British Council, além de fazer parte da produção do primeiro evento de podcasts no Rio de Janeiro, o Essa Parada. Como jornalista, Isabelle já trabalhou na Rede Bandeirantes e se especializou em jornalismo investigativo e local, com cursos na ABRAJI e em universidades como a Columbia. Também já lançou três livros, dentre eles, dois romances policiais.




Episódios

O QUE HÁ DE NOVO NO PROGRAMA

AS MENTIRAS E VERDADES DE HENRY LEE LUCAS | CDC 024



Isabelle Reis conta a história de um serial killer que confessou mais de 600 assassinatos por todo os Estados Unidos e disse ter matado das mais diferentes formas. Com facas, armas de fogo, garfos, lençóis, mulheres, homens, crianças, negras, brancas, baixas, magras. Sem nenhuma assinatura ou modus operandi, a polícia começou a suspeitar das confissões de Henry Lee Lucas. 

Henry Lee Lucas foi a maior farsa na história criminal dos Estados Unidos. De maior assassino em série da história do país, passou a ser o maior assassino mentiroso dos registros policiais. Lucas é a perfeita definição do desespero de concluir casos sem solução. Uma junção de ego, trabalho mal feito e mentes fechadas deram aos noticiários um prato cheio para contar a história de um assassino em série que confessou mais de 600 vítimas.

Bibliografia:
Livro A Enciclopédia dos Serial Killers
Site Biography
Série documental The Confession Killer
Filme Henry: O retrato de um serial killer, do diretor  John McNaughton
Série documental The Deadliest Duo in U.S. History
Série documental: Henry Lee Lucas – Confessions of a serial killer

 https://www.youtube.com/watch?v=AiDzUuz7Hd8
https://www.youtube.com/watch?v=SNn1yY0kpAA

NOS APOIE!


Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime
https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

AS ALMAS GÊMEAS DE PARKER E HULME | CDC 023


Isabelle Reis conta a história de amizade, amor e obsessão que levaram duas amigas neozelandesas matarem a mãe de uma delas. 
O caso de assassinato de Parker-Hulme começou na cidade de Christchurch, Nova Zelândia, em 22 de junho de 1954, quando Honorah Rieper (também conhecida como Honorah Parker, seu nome legal) foi morta por sua filha adolescente, Pauline Parker, e amiga íntima de Pauline, Juliet Hulme (mais tarde conhecida como Anne Perry). Parker tinha 16 anos na época, enquanto Hulme tinha 15 anos. O assassinato inspirou peças, romances, livros de não ficção e filmes, incluindo o filme de 1994 de Peter Jackson, Heavenly Creatures.
Bibliografia:
https://www.scielosp.org/article/rsp/1984.v18n5/344-347/
http://www.anneperry.co.uk
http://www.nzherald.co.nz/nz/news/article.cfm?c_id=1&objectid=10765998
http://www.adamabrams.com/hc/faq2/Section_7/7.4.3.html
https://christchurchcitylibraries.com/Heritage/Digitised/ParkerHulme/Page2.asp
https://samtippet.weebly.com/1954-court-case.html
https://www.nzonscreen.com/title/christchurch-garden-city-of-new-zealand-1952
https://www.youtube.com/watch?v=lvFUEkj4TlA&t
https://www.youtube.com/watch?v=b_oYT9mvChw&t

ED GEIN: A INSPIRAÇÃO DE FAKE CRIMES | CDC 022




Isabelle Reis fala sobre a história de um dos serial killers mais famosos do mundo: Edward Gein
Psicose, O Massacre da Serra Elétrica e O Silêncio dos Inocentes foram inspirados pelos crimes de Ed: um homem morador de Winsconsin que matou duas mulheres e fez crueldades com pedaços de corpos humanos.
Edward Theodore Gein, mais conhecido como Ed Gein, nasceu em La Crosse, Wisconsin, no dia 27 de agosto de 1906 e foi um assassino em série e também ladrão de lápides americano condenado pelos homicídios de duas pessoas e suspeito no desaparecimento de outras cinco. Seus crimes, cometidos em torno da sua cidade natal de Plainfield, Wisconsin, ganharam muita notoriedade após autoridades descobrirem que Gein exumou corpos de suas lápides locais e fabricou troféus e lembranças a partir dos ossos e pele.

Bibliografia:
Serial Killers - Anatomia do Mal - Harold Schetcher
Deviant - Harold Schetcher
Biography - documentário de TV

PRECISAMOS FALAR SOBRE COLUMBINE | CDC 021





Isabelle Reis faz uma análise sobre a ficção, da vida de Eva e Kevin, e a realidade de Columbine em 1999. Precisamos falar sobre Kevin traz um dos questionamentos mais importantes quando falamos sobre estes ataques em escolas. O fato de que os jovens precisam ser ouvidos e enxergados de maneira que não sejam tratados apenas como estatística e mais um número em uma instituição. Temas importantes além da fórmula de Bhaskara ou a tabela periódica precisam ser discutidos. Mas além disso, o que leva um estudante a pegar uma arma, ir até a escola e matar seus colegas de classe? 
A facilidade que esses jovens têm acesso às armas? 
O problema é muito mais complexo. Hoje, Precisamos falar sobre Columbine.

Bibliografia:

Livro Columbine, de Dave Cullen
Tiros em Columbine, documentário dirigido por Michael Moore
O Acerto de Contas de Uma mãe, livro escrito por Sue Klebold
https://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/0735648X.2017.1284689?needAccess=true
https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-79722009000300021&script=sci_arttext

NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime


https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

HANNIBAL LECTER E DOUTOR SALAZAR | CDC 020



Hannibal Lecter é um personagem de ficção criado pelo escritor Thomas Harris, que apareceu pela primeira vez no livro Dragão Vermelho, de 1981. Nas telas de cinema, Hannibal estreou no filme Manhunter, de 1986, interpretado por Brian Cox, mas, foi apenas no filme O Silêncio dos Inocentes, que um dos personagens mais icônicos no cinema, vivido por Anthony Hopkins, fez um grande sucesso.
Thomas revelou em 2013 que sua inspiração para o personagem tão bem construído veio de um médico e assassino mexicano, que conheceu ao visitar uma prisão mexicana na década de 1960. Este criminoso ficou conhecido como Doutor Salazar.

ZODÍACO | CDC 019



Isabelle Reis conta a história de um dos serial killers mais conhecidos do mundo: o Zodíaco. Entre as diferenças do filme estrelado por Robert Downey Jr e Jake Gyllenhaal e a realidade, os detalhes das investigações fazem toda a diferença.
O Assassino do Zodíaco foi um assassino em série estadunidense que atuou no Norte da Califórnia durante 10 meses desde o final da década de 1960. Sua identidade permanece desconhecida. O Zodíaco colocou seu nome em uma série de cartas ameaçadoras que enviou à imprensa até 1974.
O Canal AXN vai patrocinar dez episódios para que a gente disseque casos parecidos e que inspiraram histórias conhecidas nas telas de cinema, nos livros ou nos shows de TV, acompanhando os 10 episódios da primeira temporada de Lincoln Rhyme, série inspirada no best-seller “O Colecionador de Ossos”, exibida toda segunda, às 22h.

Bibliografia:









Zodíaco – Filme dirigido por David Fincher

O animal mais perigoso de todos - Gary L. Stewart



NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime


https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

LINCOLN RHYME E O COLECIONADOR DE OSSOS DE WEST MESA | CDC 018



Isabelle Reis, em parceria com o Canal AXN, conta a história do Colecionador de Ossos de West Mesa, misterioso crime que marcou Albuquerque, nos Estados Unidos. Onze ossadas foram encontradas em uma área de 92 acres no deserto da cidade.

A polícia de Albuquerque levou semanas para desenterrar todos os corpos – eles estavam espalhados numa faixa de 92 acres de terra que pertenciam a um desenvolvedor imobiliário, usaram máquinas e cães farejadores para encontrarem as ossadas. A região era toda de terra e a cada vez que as máquinas trabalhavam, eles precisavam esperar a poeira enorme abaixar para buscarem as vítimas. Os policiais levaram quase um ano para identificar as vítimas. Todas eram mulheres de idades entre 15 e 32 anos, a maioria hispânica.

Bibliografia:
Serial Killers Made in Brazil - Ilana Casoy 
https://www.abqjournal.com/community-data/west-mesa-murders#timeline
https://www.vice.com/pt_br/article/aew4zk/quem-e-o-colecionador-de-ossos-de-west-mesa-v21n9
https://www.youtube.com/watch?v=zyoGuKDeGes
https://www.abqjournal.com/community-data/west-mesa-murders-potential-suspects
https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/o-crime-nunca-solucionado-a-misteriosa-saga-do-colecionador-de-ossos-dos-eua.phtml
https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/1536504218776961


NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime

https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

FRANCISCO DAS CHAGAS DE BRITO | CDC 017


Isabelle Reis conta a história do maior serial killer brasileiro. Francisco das Chagas de Brito foi condenado a mais de 400 anos de prisão por matar 42 meninos nos estados do Pará e do Maranhão. Os meninos emasculados de Altamira e do Maranhão ficaram marcados na sociedade brasileira, por serem alvo de Francisco. Estima-se que ele atuou em São Luís e Altamira por quase 15 anos.

Francisco das Chagas Rodrigues de Brito (Caxias, 1965) é um ex garimpeiro e mecânico autônomo condenado pela justiça como o responsável por diversos homicídios contra crianças no estado do Maranhão, mantendo em comum o vilipêndio e a emasculação das vítimas. Provas científicas o comprovaram como autor dos crimes quando peritos encontraram em sua residência diversos corpos, além de membros e fragmentos de meninos que haviam desaparecido. Indícios o colocam como real responsável pela série de crimes de mesmo modus operandi ocorrida no município paraense de Altamira, uma vez que o acusado morou na região por mais de 10 anos. Francisco das Chagas Rodrigues de Brito é considerado o maior assassino em série do país.

Bibliografia:
https://www.gazetaonline.com.br/noticias/cidades/2016/07/caso-emasculados-de-altamira-condenado-a-56-anos-de-prisao-medico-capixaba-vai-para-o-semiaberto-1013958941.html
https://www.mpma.mp.br/memorial/wp-content/uploads/2017/05/Caso-dos-Emasculadosmiolo-1.pdf
http://www.joinpp.ufma.br/jornadas/joinppII/pagina_PGPP/Trabalhos2/Valdira_barros.pdf
https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/33794197/Tese_Paula_Lacerda_1012.pdf
https://super.abril.com.br/sociedade/francisco-das-chagas-brito-o-mecanico-que-guardava-genitalias-de-souvenir/
https://www.youtube.com/watch?v=_Mhk_SoZeXs

NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime

https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

ILSE KOCH - A BRUXA DE BUCHENWALD | CDC 016




Ilse Koch (Dresden, 22 de setembro de 1906 - Aichach, 1 de setembro de 1967) foi a esposa de Karl Otto Koch, comandante dos campos de extermínio de Buchenwald e Majdanek.
Ilse tornou-se sinistramente famosa por colecionar como sourvenires pedaços de peles tatuadas de prisioneiros dos campos. Histórias de sobreviventes contam que ela tinha cúpulas de abajures feitos de pele humana em seu quarto e era conhecida pelo apelido de "A Bruxa de Buchenwald" ou "A Cadela de Buchenwald", pelo caráter perverso e crueldade sádica com que tratava os prisioneiros deste campo.
Ilse conheceu o general nazista Karl Otto Koch, por meio de colegas do partido. Quando os dois se casaram, em 1936, Ilse já trabalhava como secretária no campo de concentração de    próximo a Berlim, onde conheceu o comandante. Era, nessa época, só um campo de prisioneiros políticos, sem a intenção de extermínio.
Seus ideias nazistas começaram a aflorar quando ainda era funcionária da livraria e consumia seu tempo lendo e ouvindo os ideais da SS, que com certeza faziam parte de um refugio bastante confortável após a economia completamente desestabilizada da Alemanha pós primeira guerra.

Ilse e Carl Koch se casaram ao ar livre e eram o perfeito casal alemão da época. Mas era bem verdade Ilse era conhecida por saber quando era conveniente ou não se aliar a uma pessoa. E isso aconteceu com Carl. E eles não demoraram a serem reconhecidos pelos superiores nazistas.
Em 1937, Carl foi nomeado comandante de dos campos de treinamento da SS, Buchenwald.
Bibliografia:
https://www.youtube.com/watch?v=NUXp3KZBc2Q&t
https://www.youtube.com/watch?v=ty4f3PXD7lA&t
https://www.youtube.com/watch?v=3BI1WTC67ZI&t
https://www.youtube.com/watch?v=q0ULzaJtuec&t
https://www.youtube.com/watch?v=y6gSinaRrIs&t


NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime

https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

DANIELLA PEREZ, GUILHERME DE PÁDUA E PAULA THOMAZ | CDC 015



Isabelle Reis conta o caso da atriz, Daniella Perez, que foi brutalmente assassinada por seu companheiro de cena, Guilherme de Pádua, e seu caso ficou conhecido mundialmente. Guilherme e Daniella contracenavam em De Corpo e Alma, enquanto Dani fazia a sensual trocadora de ônibus, Guilherme fazia o ciumento motorista Bira, que foi o único papel relevante em sua vida. Sua esposa, Paula Thomaz, participou ativamente no crime.

Bibliografia:
http://www.daniellaperez.com.br
https://www.youtube.com/watch?v=EtnuyN7F5Xg
https://www.youtube.com/watch?v=Wc4loXOrdQo&t=548s
https://www.youtube.com/watch?v=bropjbHOzb8&t=173s
https://www.youtube.com/watch?v=E0C-z3vazXs
https://www.youtube.com/watch?v=c2OMmaoLiL4&t=173s
https://www.youtube.com/watch?v=QyqeUmi6pPg
https://www.youtube.com/watch?v=k_kth6ZErqc
http://www2.uesb.br/ppg/ppgmls/wp-content/uploads/2017/06/Dissert-Cor%C3%A1lia-Thalita-Viana-Almeida-Leite-6.pdf
http://dspace.unisa.br/handle/123456789/233
http://rubi.casaruibarbosa.gov.br/handle/20.500.11997/1565

NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime

https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime



ANWAR CONGO: O HOMEM DE MIL FACES | CDC 014


Isabelle Reis explana mais um país que trata sua população da pior maneira possível. Anwar Congo faz parte do grupo que matou milhares de indonésios por apenas pensarem diferente. Apesar do lema da Indonésia ser União e Diversidade, este homem que já exterminou outros mil mostra outra face de um dos países mais populosos da Ásia.
Conheça os ceifadores que deram origem a Juventude Pancasila e descubra o horror que muitos grupos indonésios vivem até hoje. Esta preparado para assustar-se com tamanha semelhança que este Estado teve com o nosso?
Embarque na história do homem de mil faces.


Créditos e bibliografia deste episódio:
Locução e produção: Isabelle Reis
Edição: Gustavo Barbosa
Bibliografia: JSTOR – Biblioteca Online
Documentário O ator de Matar - Joshua Oppenheimer exibido em 2012
Documentário O Peso do Silêncio - Joshua Oppenheimer exibido em 2014
Livro Assuntos do Sudeste Asiático – Donald Weatherbee de 2018
Livro Cidadania e Democratização no Sudeste Asiático - Laurens Bakker de 2017
Artigo Pancasila como uma fundação firme de 1984

NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime

https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime


IRMÃOS NECRÓFILOS DE NOVA FRIBURGO | CDC 013




Isabelle Reis conta a história de dois irmãos, assassinos em série, que ficaram bastante conhecidos no Brasil após matarem diversos moradores de Nova Friburgo. Os irmãos são acusados de terem praticado sexo com cinco dos cadáveres de suas vítimas. 
braim e Henrique de Oliveira tinham entre 19 e 20 anos quando aterrorizaram a  zona rural de Nova Friburgo. Entre 1991 e 1995, os irmãos mataram oito pessoas brutalmente e praticaram necrofilia com todos os corpos. Os irmãos circulavam e viviam numa área de 300 mil metros quadrados de Mata Atlântica que compreendia os municípios de Sumidouro, Riograndina e Nova Friburgo, área que conheciam como ninguém. Eles apareciam e desapareciam com facilidade, atacando e arrastando mulheres de suas casas. Segundo o jornal A Voz da Serra, estima-se que 70% das famílias que moravam na zona rural abandonaram suas casas com medo de se tornarem vítimas dos assassinos.
A ex-jornalista da VICE, Marie Declarq, e Guilherme Alt, do A Voz da Serra, ajudam a montar um quebra cabeça que até hoje faz parte do imaginário da população local. 

Bibliografia:
https://www.vice.com/pt_br/article/vbzby3/os-irmaos-necrofilos-de-nova-friburgo
https://www.youtube.com/watch?v=dZ1kqJQa6sw
https://www.youtube.com/watch?v=ogsNGT4qpFE
https://www.youtube.com/watch?v=1OnB7TuEyq0
Acervo O Globo
Instituto Don João VI
A Voz da Serra


NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc 

Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime

https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime


AILEEN WUORNOS | CDC 012




Aileen Wuornos é considerada a primeira serial killer dos Estados Unidos, após matar sete homens e ser condenada pelo assassinato de seis deles. Aileen ficou conhecida em todo o país e é, até hoje, lembrada em filmes ganhadores do Oscar, como Monster, e grandes séries como American Horror Story, além de já ter sido homenageada por artistas como Cardi B. Wuornos era uma prostituta que atraia seus clientes para lugares inóspitos e os assassinava, roubava seus corpos e cuidadosamente limpava seus rastros.


No dia 15 de janeiro de 1992, Aileen foi para o seu julgamento, em Volusia Conty, pelo assassinato de Richard Mallory. A estratégia era convencer os jurados de que Aileen tinha ajudo em legitima defesa. Mas as provas contra Wuornos eram incontestáveis e para colocar a cereja no bolo, Tyra foi testemunha contra sua ex-companheira. Este foi o pior momento do julgamento para a presa.


No dia 27, depois de só duas horas de deliberação do júri, Aileen foi declarada culpada pelo assassinato. Durante a faze de dar uma pena à Aileen, a defesa disse que Aileen sofria de uma doença mental chamada Borderline na intenção de sua vida ser poupada pelo júri, mas não adiantou.


Até fevereiro de 1993, Aileen foi condenada a mais seis penas de morte. Em 2001, Wuornos, com 45 anos, pediu para que a sentença de morte fosse executada de uma vez e, pela primeira vez, confessou que as mortes não foram em legítima defesa.


A execução ocorreu em 9 de outubro de 2002, na Prisão Estadual da Flórida. A injeção letal foi ministrada em seu braço direito às 9h30min. Dois minutos depois, Wuornos parou de se mexer, sendo declarada morta oficialmente às 9h47min. As últimas palavras que disse antes de fechar seus olhos não foram exatamente claras: “Eu só gostaria de dizer que estou velejando com a Rocha e retornarei como no Independence Day com Jesus, 6 de junho, como no filme, na nave-mãe e tudo. Eu voltarei”.

Trecho 1, 9:39min: "Lembrem-se... Que eu sei que, os policiais sabiam quem eu era depois que Richard Mellorie morreu, eu deixei digitais por toda parte e eles encobriram isso e me deixaram matar todo os outros rapazes, para me transformar em uma Serial Killer. Eu sei que eles fizeram."

Trecho 2, 11:54min "Meu pai era muito rigoroso, nós apanhávamos com o cinto, com as calças arriadas, para sermos disciplinados."


Trecho 3, 34;37min "Eu quero deixar claro para o mundo eu matei aqueles homens primeiro

Treho 4, 36:00min "E o oscar vai para, Charlize Theron."


Bibliografia e videografia:


https://www.youtube.com/watch?v=yFBcjII3QAE&t=41s


https://www.youtube.com/watch?v=_P7WVCcNOpE


https://www.youtube.com/watch?v=QUgMgfRXJ5o


Monster (2004)


Lethal Intent - Sue Russel



NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc
Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime
https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

CRIMES DA RUA DO ARVOREDO | CDC 011








Os crimes da Rua do Arvoredo é um episódio verídico, que ocorreu entre 1863 e 1864, na cidade de Porto Alegre, capital de estado brasileiro do Rio Grande do Sul. A prática insólita dos crimes era feita da seguinte forma: os acusados atraiam vítimas para matá-las e, provavelmente, desfaziam de partes dos corpos produzindo linguiças de carne humana pra serem vendidas em um açougue da cidade. Três pessoas estariam envolvidos na execução dos crimes: o brasileiro José Ramos, sua esposa húngara Catarina Palse e o açougueiro alemão Carlos Claussner. Apesar de ser um caso real, ele ainda está presente no imaginário popular local, tendo-se tornando uma espécie de lenda urbana da cidade.






Bibliografia:


http://crimesdaruadoarvoredo.blogspot.com

NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc
Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime
https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime

LUIS GARAVITO | CDC 010









Isabelle Reis conta a história de um assassino e estuprador colombiano com mais de 400 vítimas em suas costas. La bestia é o tema deste episódio.


Luis Alfredo Garavito Cubillos (Génova, Quindío, Colômbia, 25 de janeiro de 1957), conhecido como "La Bestia" ("A Besta") ou "Tribilín" (que significa da tradução para espanhol do personagem de desenho animado Pateta), é um estuprador e assassino em série de nacionalidade colombiana.

Em 1999 admitiu ter estuprado e assassinado 140 meninos. O número de suas vítimas é baseado na localização de ossadas que foram listadas num mapa desenhado pelo próprio assassino, este número pode superar 300 vítimas. Ele foi descrito pela imprensa local como “o maior assassino em série do planeta” em virtude de seu número de vítimas.

Quando foi capturado, Garavito foi condenado ao máximo de pena possível na Colômbia, que foi de 30 anos. Entretanto, como confessou seus crimes e ajudou as autoridades policiais locais a localizar os corpos de suas vítimas, a lei colombiana permitiu que recebesse alguns benefícios legais, incluindo a redução de sua pena a 22 anos e possibilitando sua saída ainda mais cedo caso fosse considerado um preso cooperativo e de bom comportamento.

Nos anos seguintes, a população colombiana sentiu que a possível saída de Garavito de prisão estava cada vez mais perto, considerando que sua sentença não foi punição suficiente pelos crimes por ele cometidos. A lei colombiana não autoriza a prolongamento da sentença, porque em casos de assassinos em série, como Garavito, não tem precedentes no país, assim não tendo o sistema legal como analisar este caso. No final de 2006, entretanto, uma revisão criminal dos casos contra Garavito por uma jurisdição diferente da que o condenou poderia prolongar o cumprimento de sua pena, devido a existência de crimes que ele não admitiu e, logo, não fora condenado.






Referências:

BÁRBARA DOS PRAZERES | 009



Bárbara dos Prazeres, também conhecida como Onça, foi uma assassina cereal serial e prostituta que viveu no Rio de Janeiro em 1800 e bolinha, matando crianças e bebendo seu sangue, que, acreditava, iria curá-la da lepra Hanseníase. A polícia carioca, é claro, nunca conseguiu capturá-la, e só melhorou um pouco sua imagem depois de forjar sua morte com um corpo boiando na Baía de Guanabara (que, como se pode ver, era poluída desde aquela época).
Bárbara dos Prazeres teria morrido ou desaparecido no ano de 1830. Há uma lenda urbana que afirma que estaria viva até hoje. Há quem diga que o Arco do Telles é mal-assombrado por uma figura feminina e que na madrugada quando os botecos e restaurantes estão fechados ouve-se gargalhadas e que se pode avistar a silhueta bem desenhada de uma mulher. Abandonando um pouco os exageros que assombram a trajetória dessa figura, partindo para realidade comprovada, resgatamos a história de uma mulher que rompe com os padrões pré-estabelecidos, em um momento histórico em que o perfil e comportamento feminino esperado era a clausura.
O que se sabe é que sua história assustadora e trágica perdurou mais do que perdurou sua vida. Dizem que até hoje em certas madrugadas sem lua quando já partiram os últimos garçons dos bares da travessa do comércio e cessou o movimento da boemia escuta-se no beco a gargalhada de Bárbara dos Prazeres ecoando assustadoramente pelos vazios escuros do Arco do Teles.

Bibliografia:



REZZUTTI, Paulo. Mulheres do Brasil: A história não contada. 1 ed. Rio de Janeiro: Leya, 2018.


ENGEL, Magali Gouveia. Os delírios da razão: médicos, loucos e hospícios (Rio de Janeiro, 1830-1930). – Rio de Janeiro, FrioCruz, 2001.


FILHO, Alexandre José Melo Morais. Chronica geral e minuciosa do Imperio do Brazil desde a descoberta do Novo Mundo ou America ate o anno de 1879. – Rio de Janeiro: Typographia-Carioca, 1879.


FILHO, José Melo Morais. História e costumes. – Rio de Janeiro: H Garnier Livreiro Editor, 1904.


RIBEIRO, Fernando Barata. Crônicas da Polícia e da Vida do Rio de Janeiro. – Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional, 1958.


SCHUMA, Schumaher. RIBEIRO, Sandra. Bárbara dos Prazeres: uma história curiosa (século XVIII). Disponível em: <http://www.mulher500.org.br/wp-content/uploads/2017/06/247_Barbara_dos_Prazeres.pdf>. Acesso em: 11 jun. 2018.





NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc
Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime
https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime


TED BUNDY | CDC 008



Isabelle Reis contruiu um storytelling de arrepiar sobre um dos assassinos em série mais conhecidos do mundo. Está pronto para conhecer Ted Bundy?
Theodore “Ted” Robert Bundy, como quase todos os assassinos em série, teve uma conturbada infância. Sua mãe, Louise, quando ainda muito jovem, envolveu-se sexualmente com um militar da Força Aérea Americana – muito mais velho do que ela. E, esse breve relacionamento, em novembro de 1946, acabou gerando um filho, cujo pai nunca mais foi visto. Para evitar um escândalo na vizinhança e na família, os pais de Louise resolveram abafar o caso, inventando que o recém-nascido Theodore era, na verdade, seu filho e, portanto, irmão mais novo de Louise. Algumas teorias dizem que, na verdade, o falso pai e avô de Ted é seu pai verdadeiro, fruto de estupros cometidos contra a própria filha.

Legendas: 
Parte 1


00:00:56:09
Entrevistador: Agora me leve até lá.  O que estava acontecendo na sua cabeça naquela noite?
Ted: Tudo bem antes de irmos adiante, eu acho que é importante pra mim que as pessoas acreditem no que eu estou falando. Eu quero te dizer que não estou culpando pornografia e dizendo que me causou algo e me fez ir fazer algumas coisas e que eu assumo total responsabilidade por qualquer coisa que eu tenha feito, essa não é a questão aqui. A questão e o problema é como esse tipo de literatura contribuiu e ajudou a moldar e modificar os tipos de comportamento violento.
Entrevistador: “Alimentou” suas falhas
Ted: Bem, no início “alimentou” esse tipo de processo de pensamento
 Parte 2:
00:04:22:14
Atriz: Você se lembra da noite em que nos conhecemos?
Repórter: A versão de Zac Efron do serial killer Ted Bundy é encantadora, carismática e arrepiante ao mesmo tempo. O filme revela o a essência do mal enquanto evita cenas gráficas.
Parte 3:
00:09:11:17
Namorada de Ted: Eu escapei de ser morta e eu nunca vou esquecer de uma noite que eu acordei e disse: Ted, o que você está fazendo? E ele disse: Oh, eu só estou olhando as minhas facas.
Parte 4
00:16:40:14
Repórter: KOA-TV filme sobre a história de Ted Bundy. As notícias a seguir. Boa noite, obrigada por assistir, aqui estão as notícias. O sargento da polícia de Denver William Angerman prendeu em Jefferson, no estacionamento de um Shopping Center, hoje, acusado de contratar outro policial para matar a mulher do sargento. O promotor Noan Brown diz que Angerman ofereceu ao policial uma grande quantia em dinheiro pelo assassinato. O policial que ele contactou ainda não foi identificado.
Sargento Angerman foi fichado por cometer assassinato e conspiração e está preso esta noite em Jefferson County.
Parte 5:
00:16:40:14
Ted: Eu te digo, enquanto eles estão preocupados em colocar as mãos em mim, haverá pessoas sendo mortas no Canyon, sendo baleadas em Salt Lake City, porque a polícia não está aceitando o que eu acho que eles sabem e eles sabem que eu não fiz essas coisas.
E o homem que capturou uma dessas mulheres vai continuar livre e não só ela, mas qualquer mulher em Salt Lake Valley vai estar ameaçada por essa pessoa ou pessoas.
Parte 6:
00:23:46:22
Entrevistadora: Para alguém que acredita ser inocente, por que você não demonstra emoção?
Ted: (Risos) As pessoas dizem “Ted Bundy não demonstra emoção deve haver algo aí”, eu demonstrei emoção e sabe o que as pessoas disseram? “Viu? Você realmente pode ser violento e nervoso”. Não tem jeito certo de eu agir, é claro que estou nervoso, estou demonstrando emoção agora mesmo, dentro de mim. Mas eu guardo pra mim porque não tem motivo para me destruir. Eu tenho que me manter sóbrio, calmo e manter minha presença mental, porque quanto mais eu fizer isso, eu vou vencer isso.
Parte 7:
00:27:02:21
Ted: A raiva, a frustração, a ansiedade. Está se sentindo traído, errado, inseguro. Ele decide que um ser humano atrativo seria sua vítima.
Parte 8:
00:29:23:24
Entrevistador: Você está marcado para ser executado amanhã de manhã as sete. Se você não receber outro atraso. O que está passando por sua cabeça? Quais pensamentos você teve nesses últimos dias?
Ted: Eu não vou dizer que é algo que eu sinta que esteja no controle ou que eu concorde, porque não concordo. É um momento de um passo de cada vez. Algumas vezes eu me sinto tranquilo, outras, eu não me sinto nada tranquilo. O que se passa pela minha mente agora é usar os minutos e horas que me restam da melhor maneira possível e vê o que acontece.
 REFERÊNCIA
Ilana Casoy: Serial killers: louco ou cruel?- Darkside
Ann Rule - Um Estranho ao meu lado - Darkside
Netflix: Conversando Com Um Serial Killer - Ted Bundy
Sites:

https://www.youtube.com/watch?v=--BOzVtx1M8


 https://www.youtube.com/watch?v=--BOzVtx1M8&t=1437s
https://www.youtube.com/watch?v=tZAy3bmOk8Y&t=361s
https://www.youtube.com/watch?v=6oWW53snUgE&t=49s
https://www.youtube.com/watch?v=9ulhzntDDuE&t=64s
https://www.youtube.com/watch?v=G8ZqVrk1k9s
https://www.youtube.com/watch?v=Je4zKetRC0Y&t=61s

NOS APOIE!

Apoia.se: https://apoia.se/cdc
Picpay: https://app.picpay.com/user/cena.crime
https://www.catarse.me/ajudeocenadocrime


img

Jessica Emmanuela Kemu

@jehemmanuela

A forma como a Isa conta as histórias, como envolve os ouvintes é encantador, e por mais que as histórias sejam sobre tragédias, ela tem uma enorme responsabilidade ao conduzir os fatos, respeitando as vítimas e o que elas passaram, sem sensacionalismo e super transparente!

img

Daniel Guerra

Cena do Crime é um bom podcast sobre um assunto que ainda é raro na podosfera. Crimes e Serial Killers. Recomendo!

img

Cristiane Ferreira

@crissferrer

O Cena do Crime é um trabalho de muito respeito e pesquisa. Acho incrível a forma como se posicionam, sem tentarem expor uma verdade absoluta e se mantendo numa zona de entusiasmo em relação à Criminologia.

Financiamento coletivo

AJUDE O CENA

R$ 5

por mês
  • O podcast sobrevive *-*
  • Reuniões Exclusivas
  • Agradecimento nos episódios
  • Revista Mensal

R$ 10

por mês
  • O podcast sobrevive *-*
  • Reuniões Exclusivas
  • Agradecimento nos episódios
  • Revista Mensal

R$ 20

por mês
  • O podcast sobrevive *-*
  • Reuniões Exclusivas
  • Agradecimento nos episódios
  • Revista Mensal
Contato

MANDE UM E-MAIL

SINTA-SE EM CASA

Contato e Informação

Neste espaço você pode mandar sugestões, elogios e críticas para a melhor construção do podcast. Se precisar de alguém para contar uma história ou conversar, este é o nosso canal!

contato@cenadocrime.com